quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Amor é amar

Já pensou porque você ama?
O que você ama?
Quem você ama?

Seja um esporte, um time, uma área profissional, um estilo de música, um grupo, um filme, uma série, um tema, uma pessoa, um emprego, seu sonho, uma fé...

Todos amamos muitas coisas, situações, pessoas, valores...

Amamos pois o objeto do nosso amor de alguma forma nos faz bem, nos da sentido, traz utilidade, dignidade, prazer, preenche algum vazio, afasta algum medo, da alguma segurança, ou identidade...

Mas nem sempre recebemos de volta o amor que damos, afinal o time de futebol não sabe da sua mísera existência, somos muitas vezes apenas mais um número, uma unidade de um todo, um elemento de um grupo de fãs, de membros, uma peça descartável, um número entre milhões, é mesmo assim, continuamos amando, porque o amor é o ato de dar, não de receber, pois amar em si já nos preenche, independente da correspondência, do resultado do jogo, da continuidade da série, dos resultados do mercado, investimos no que amamos,  simplesmente por prazer, porque isso em si já nos faz bem, já nos dá o que queremos, que é algum sentido, por mais que não faça sentido para outros...