Olhar

Hoje foi um dia diferente.

Mas o mais diferente foi o olhar que procurei ter sobre cada coisa que fiz hoje.

Estou na casa dos meus pais, em Mongaguá, ontem, foi aniversário da minha mãe, cheguei tarde os tive muito trabalho essa semana.

Ontem, também foi assembleia do condomínio, a primeira do novo sindico, foi legal, e tranquila, realmente, agora creio que as coisas vão melhorar.

Hoje é cedo fiz algo, que não faço desde criança, sai para passear com o cachorro, Thor, um rottweiler, filhote, sem celular, sem conhecer o bairro com os quarteirões irregulares, lógico me perdi, caminhei bastante até um ponto de referência, o mercado Ostra, e aí consegui achar o caminho de volta.

Ainda pela manhã, fui para a praia, no porta malas da Zafira, afinal as crianças, Brian, Sofia, Malu, estavam no banco de traz, momento de nostalgia, novamente lembrando a infância, mas pude imaginar, não lembrar, como meus pais me trataram, como cuidaram de mim, como me ensinaram, ver meus pais, cuidando dos netos, me dá uma visão, de umas parte da infância que não lembro.

Meus sobrinho, Brian, tem autismo, eu nunca tinha entendido exatamente o que isso significa, antes de passar tanto tempo com ele, e tentando brincar e cuidar dele como uma criança normal, mas vi claramente que requer mesmo uma atenção especial a mais.

Na praia, com o pé na areia, e batendo as ondas do mar, falava com o gerente do trabalho em inglês, sobre o projeto da semana, ajudando ele a testar e validar o projeto.

Apreciei a beleza e simplicidade das crianças brincarem.

A tarde ajudei meu pai a lavar o carro, nostalgia e lembranças novamente, realmente tento saudades da infância, não tenho dúvidas que fui feliz mas infância, por mais que tenha lembranças traumáticas, o saldo foi positivo.

Ouvi uns vídeos do Cortella, para refletir um pouco mais na vida enquanto praticava alguns movimentos de Kung Fu, ou brincava com o Thor, já me acostumando com as lambidas.

A tarde, dormi na rede, descansei, apaguei.

Acordei já era a noite, com a reflexão de espanto e admiração, pois lembrei do meu primeiro pensamento do dia: "o que vou fazer hoje"

Lembrei da aula para casais, o único compromisso realmente marcado e planejado para hoje, e junto com meu amor, Érika, ela em São Paulo e eu no litoral, juntos, online, participamos da aula Unidos.

Preparei a câmera e os equipamentos para o mergulho de amanhã, na Lage de Santos, testando o SD card, e deixando tudo já pronto e separado.

Jantei, e decidi escrever e refletir.
Mas antes, fazer minha lição do Duolingo.

Gosto sempre de ter o dia, a semana, a vida planejada, mas hoje deixei tudo por conta de Deus, sem me preocupar com a próxima tarefa, tudo que fiz, foram vontades, situações, oportunidades.

E talvez por medo do mergulho, do risco de vida, hoje procurei ver tudo aí meu redor com um novo olhar

Comentários